Branding e o Poder dos Sentidos

Você sabe o que é branding? E branding sensorial? Branding é uma estratégia de gestão de marcas e nele são realizados estudos para planejar, construir e até mesmo manter o reconhecimento de uma instituição. Geralmente, as pessoas confundem com identidade visual, mas vai muito além disso: ele une todos os elementos da comunicação em um único trabalho, e o maior desafio é levar experiências ao consumidor.

Na gestão de marcas muitas coisas são envolvidas. Entre elas, a identidade visual, que é a forma mais usada atualmente. Um estudo realizado pelo site Viver de Blog expõe que 80% das pessoas acreditam que as cores aumentam o reconhecimento da marca. Além disso, ele também mostra que as cores aumentam em 73% a compreensão de algum tipo de dado. Isso indica que a identidade é importante, contudo não é a única estratégia. O que acontece é que existem maneiras diferentes de fazer branding, mas as organizações podem não perceber, cair em mesmice e não inovar.

Para mudar o padrão utilizado pelas instituições, surgiu o branding sensorial ou branding sense. Ele é uma gestão de marca que envolve outros sentidos e não foca apenas na visão e na audição, como ocorre na maioria das vezes. Segundo o autor do livro Administração de Marketing, Phillip Kotler: “ O marketing atual não funciona e as marcas precisam oferecer algo mais, como por exemplo, uma experiência sensorial e emocional plena. Apresentar um produto ou serviço visualmente em um anúncio não é mais suficiente”.

Os outros sentidos podem ser implementados nas marcas da mesma maneira que a visão e a audição, mas isso não precisa ser um bicho de sete cabeças. Na verdade, várias marcas possuem o necessário para investir em branding sensorial, apenas perdem a oportunidade. A Porsche, por exemplo, nunca patenteou o cheiro dos seus carros novos, mas poderia, porque os clientes provavelmente pensam nele na hora que compram um carro da marca.

Pensando por esse lado, porque é importante investir nos sentidos? O olfato nos leva diretamente a momentos e experiências da vida e, se ele nos faz retornar a tantas coisas, possivelmente também fará com que lembremos de determinada marca sempre que sentirmos o cheiro dela. O tato pode ser implementado na embalagem e, se for algo agradável ao toque, fará os clientes sentirem um afeto especial. Já o paladar é o sentido mais difícil de ser explorado, visto que é diretamente influenciado pela visão e pelo olfato.

Sendo assim, é possível perceber que o branding pode instigar as pessoas a participarem dos produtos por meio da experiência. Tal contato mais próximo com clientes pode ser a grande chave para o sucesso de qualquer empresa. Agora que você sabe o que é branding sensorial, pense: quais marcas já conquistaram seus sentidos?

Arte por Camila Martins

Texto por Dayla Suênia

0 visualização

Sobre nós

Funcionamento

Segunda a sexta

das 14h às 18h 

Venha nos visitar

UnB, Campus Darcy Ribeiro, ICC Norte, bloco A, térreo, FAC, sala AT-636, Asa Norte, Brasília.

linkedin (1).png
behance.png
instagram (1).png