Fotojornalismo: Ética e Manipulação

Por Raquel Franco

O fotojornalismo é uma vertente do jornalismo que utiliza a linguagem fotográfica para transmitir uma informação, e não apenas ilustrar uma notícia. Esta prática surgiu em coberturas de guerras, e um de seus precursores foi Roger Fenton, enviado para registrar a Guerra da Criméia em 1853. Segundo Susana Dobal, professora na Universidade de Brasília, o fotojornalismo é uma composição de imagens que sintetizam o fato. “Muita gente pode usar a câmera, mas isso não valida um verdadeiro fotojornalista. Um profissional pode propor uma outra visão das coisas”, afirma a professora.

Essa linguagem traz muitos benefícios à exposição de informações, mas também tem aspectos negativos. A manipulação de fotografias passou a se tornar uma preocupação em 1842, quando houve a primeira ilustração publicada a partir de um registro fotográfico. Nessa época, não havia tecnologia para que uma foto fosse reproduzida no papel do jornal, por isso ilustradores usavam a fotografia como base para suas ilustrações.

Uma pesquisa realizada por Alain Jaubert revela que muitos políticos utilizaram técnicas de alteração para omitir a realidade e se colocar em posição de triunfo perante o povo que governavam. Antes mesmo da chegada de imagens digitais, a subtração de personagens indesejados, ou até mesmo elementos que atrapalhavam os objetivos da fotografia eram recorrentes na União Soviética. Por várias vezes, a imagem de Trotsky, revolucionário e intelectual soviético, foi retirada de fotografias junto a Stalin.

A União Soviética (URSS), inclusive, pode servir com o exemplo desse tipo de manipulação. A fotografia original a seguir foi tirada em uma das aparições de Lênin, chefe de estado russo, e mostrava centenas de pessoas ouvindo o líder. Na versão manipulada, o número de ouvintes se multiplicou. Há inúmeros exemplos em que a URSS apagou imagens de desafetos políticos das fotografias, além de retirar objetos que desviavam a atenção do foco principal.


Discurso de Lênin (Imagem original)



Discurso de Lênin (Imagem manipulada)


O desenvolvimento da tecnologia digital trouxe diversos avanços para a tecnologia fotográfica, porém também trouxe preocupações. Com a linguagem dos computadores, foi facilitada também a manipulação de imagens. Difíceis de serem detectadas, as alterações de conteúdos em fotografias se tornaram comuns, principalmente em publicações com fins políticos.

A manipulação – no caso específico do fotojornalismo – interfere na realidade dos fatos. Elementos podem ser acrescentados ou excluídos, dependendo da intenção de quem altera. Esse tipo de prática é eticamente condenada no fotojornalismo e traz conseqüências: o veículo de comunicação perde a credibilidade e o profissional assume a responsabilidade pela adulteração, como determina o Código de Ética dos Jornalistas.

Quer saber quais são as fotografias manipuladas mais conhecidas da história? Clique aqui.

#éticanojornalismo #fotojornalismo #manipulaçãodeimagens #susanadobal

0 visualização

Sobre nós

Funcionamento

Segunda a sexta

das 14h às 18h 

Venha nos visitar

UnB, Campus Darcy Ribeiro, ICC Norte, bloco A, térreo, FAC, sala AT-636, Asa Norte, Brasília.

linkedin (1).png
behance.png
instagram (1).png