Como os algoritmos mudaram a comunicação?

Se pensam que, para trabalhar com comunicação, basta ser de humanas, estão enganados! Os algoritmos chegaram para mudar a forma de pensar as mídias. Mas, afinal, o que é um algoritmo?

Segundo Steven Skiena, professor de Ciência da Computação da Universidade Stony Brook em Nova Iorque, essa tecnologia é um código de programação criado para cumprir uma tarefa específica. Ou seja, ela contém instruções para realizar ações humanas de forma mecânica, como organizar o feed do Facebook, por exemplo. Atualmente, o algoritmo representa o que pensadores acreditam ser o futuro da comunicação, revolucionando o modo como as pessoas consomem todo tipo de conteúdo.

A discussão sobre algoritmos cresce desde o advento  das mídias sociais, como o Twitter e o Facebook, e de programas de streaming, como a Netflix e o Spotify. Isso se deve ao fato das plataformas online terem encontrado nos números uma maneira de apresentar ao seu público exatamente o que ele deseja.

Com a utilização dos algoritmos, grandes proprietários de rede criam perfis para seus usuários e disponibilizam assuntos do interesse do consumidor. Com o apoio da automação da informação, a experiência do consumidor foi alterada e o conteúdo absorvido pelo público foi delimitado. O Spotify, por exemplo, possui um algoritmo que mapeia o gosto musical do usuário e oferece artistas, músicas e playlists que se encaixam nesse estilo. A aba “Descobertas da Semana” oferece para o ouvinte músicas novas, mas que, surpreendentemente, se encaixam no seu perfil.

Já para a publicidade, a implementação dos algoritmos na comunicação é essencial para o desenvolvimento de campanhas e delimitação de público-alvo. Afinal, é possível reconhecer o que o consumidor espera do produto e quais são as pessoas que gostariam dele. 

A modernidade exige rapidez. Assim, encontrar assuntos específicos de certo público nos aplicativos auxilia na praticidade e interação. Entretanto, pesquisadores se preocupam com a criação de “bolhas ideológicas”. Elas seriam o espaço nas plataformas em que os usuários estariam conectados apenas a pessoas e assuntos padronizados, alterando sua percepção de mundo.

No meio disso tudo, surge um questionamento: até que ponto os algoritmos podem afetar a perspectiva dos consumidores sobre o mundo?

Texto por Amanda Nobre Arte por Beatriz Socha 

0 visualização

Sobre nós

Funcionamento

Segunda a sexta

das 14h às 18h 

(61) 3107-6533

Venha nos visitar

UnB, Campus Darcy Ribeiro, ICC Norte, bloco A, térreo, FAC, sala AT-636, Asa Norte, Brasília.

linkedin (1).png
behance.png
instagram (1).png